Guerra de facções provoca onda de terror em Macaé

Policial militar e quatro outras pessoas são mortas na cidade

Por Jornal Expresso 09/01/2018 - 17:36 hs

Uma guerra entre duas facções criminosas espalhou uma verdadeira onda de terror na cidade de Macaé. Após tiroteios registrados na madrugada de ontem e na manhã desta terça-feira no Lagomar, onde o cabo do Grupamento de Ações Táticas (GHAT) da PM José Renê Araújo Barros, de 35 anos, acabou sendo baleado e morto, a onda de violência se espalhou por toda a cidade. Outros tiroteios foram registrados também na comunidade da Nova Holanda (de onde teria partido o ataque da facção rival que atacou o Lagomar), e Cajueiros, totalizando quatro mortos. A polícia reagiu com o apoio de um veículo blindado e até dois helicópteros. No entanto, o terror não foi contido: três ônibus foram incendiados e o toque de recolher aconteceu em várias regiões na cidade, inclusive no Centro, onde bandidos armados foram vistos no calçadão da Rui Barbosa, levando os comerciantes a fecharem os estabelecimentos.

Território dividido – O conflito, segundo informações, aconteceu pelo acirramento da disputa entre as facções criminosas Comando Vermelho e ADA, que há anos disputam territórios de vendas de drogas em Macaé. O Lagomar, no entanto, bairro macaense considerado estratégico para o tráfico por ter várias rotas de fuga e acesso de armamentos e drogas longe das bairreiras policiais, muitas delas pelas áreas de restinga que fazem divisa com os municípios de Quissamã e Carapebus, dando acesso a BR-101, era dominado há anos pelo Comando, no entanto, na madrugada deste sábado, segundo informações, cerca de 30 homens fortemente armados, da facção rival, invadiram a comunidade, provocando um intenso confronto. A polícia interviu e, na tentativa de pacificar o conflito, acabou perdendo um homem, o que acirrou ainda mais os ânimos.

Terror pela internet – Nas redes sociais, circulam diversos áudios, muitos deles atribuídos a traficantes, com ordens expressas para que bandidos realizem assaltos nas regiões centrais da cidade. O objetivo seria desviar o foco da polícia, que está realizando ações ostensivas no Lagomar e na Favela da Linha. Até agora, segundo informações, três ônibus foram queimados por bandidos, um na Fronteira, fechando a RJ-106 no sentido Campos; um na Linha Azul e outro na Aroeira, próximo ao CIEP. Pelo visto o clima de guerra está longe do fim...