Delegado rebate acusações e garante que assumirá Superintendência da Polícia Federal

Delegado rebate acusações e garante que assumirá Superintendência da Polícia Federal

Felício Laterça disse que é alvo de uma conspiração orquestrada por bandidos

Por Jornal Expresso 02/02/2018 - 12:54 hs

 

Em entrevista coletiva realizada da manhã de hoje, o delegado da Polícia Federal em Macaé, Felício Laterça rebateu as acusações feitas ontem em matéria veiculada pelas Organizações Globo que levantavam suspeitas de um suposto envolvimento com políticos do estado, entre eles o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio. Na matéria, que foi veiculada nos veículos O Globo, G1, GloboNews e Jornal Nacional, foi informado que o Ministério Público Federal havia aberto investigação para apurar a nomeação do delegado para a Superintendência da PF no Estado. Ainda de acordo com a reportagem, o MP ainda investigava supostas irregularidades na transferência da sede da Polícia Federal para o prédio cedido para a Prefeitura em 2016 e uma suposta troca de favores envolvendo o irmão do delegado e até o prefeito de Nova Iguaçu, Farid Abraão, do PTB. No entanto, todas as informações foram refutadas pelo delegado que apresentou uma fartura de documentos aos profissionais de imprensa presentes ao encontro.

Na entrevista, em que esteve presente também o prefeito Dr. Aluízio, que também foi citado na matéria, o delegado frisou que não existe nenhuma investigação em curso envolvendo o seu nome, e que tudo não passa “de uma mentira plantada pelas Organizações Globo atendendo a interesses maiores”. Segundo o delegado, o que houve foi uma denúncia anônima em 2016, na época da transferência do prédio da PF para a atual sede. A denúncia foi apurada na época pelo MPF que concluiu não haver qualquer irregularidade, uma vez que a Polícia Federal já funcionava em um prédio também alugado pela prefeitura há 30 anos que, aliás, encontrava-se em péssimas condições.

“Toda esta história de investigação é uma mentira. Ao contrário do que disse a matéria covarde da Globo eu não estou na mira do MPF. Na verdade eu estou na mira de bandidos que estão incomodados com meu trabalho à frente da Polícia Federal e com a minha indicação para o cargo máximo da entidade no Estado do Rio de Janeiro. É por isso que estou sofrendo estes ataques covardes”, disse o delegado.

A respeito do prédio — Presente na entrevista, o prefeito Dr. Aluízio explicou que o prédio cedido para a Polícia Federal de maneira nenhuma poderia ser uma “troca de favores” com o delegado e o proprietário do prédio, como afirmou a reportagem do Jornal Nacional por dois motivos. O primeiro é que o prédio, já está alugado para o município desde 2006 e ele entrou no cargo em 2013. O segundo é que o contrato de comodato entre o município e a Polícia Federal não passou pelo Delegado Dr. Felício, por ser de competência exclusiva da superintendência estadual.

“O município já pagava 30 mil na sede antiga que estava em frangalhos e, neste prédio todo aqui, pagávamos 56, e conseguimos baixar o aluguel para 40. E este prédio é compartilhado entre a Polícia Federal e a Secretaria de Obras. Logo, com a transferência, estamos economizando 46 mil por mês”.

CONSPIRAÇÃO — Quanto à armação da qual o delegado se diz vítima, Dr. Felício diz acreditar que os interesses por trás da reportagem são “grandes” e que houve vazamento de documento nos altos escalões da Polícia Federal do Rio de Janeiro. “Mas vamos à fundo nesta história e vamos chegar aos responsáveis”, promete. Quanto à outra informação de que sua nomeação à Superintendente estaria comprometida com a denúncia, o delegado disse que esta é outra mentira. “Estou apenas aguardando a nomeação para iniciar meu trabalho. Meu currículo de 28 anos na instituição é o que me trouxe até aqui. Sou ficha limpa. E vamos à frente da Superintendência fazer um grande trabalho integrando todas as forças de segurança do estado”, disse o delegado e futuro superintendente, terminando a entrevista prometendo rigor nas apurações da Lava Jato.