Dia D: expectativa é vacinar oito mil pessoas

Por Jornal Expresso 27/01/2018 - 15:29 hs

Com 98% da população imunizada, cerca de 195 mil pessoas, o Dia D estadual de mobilização contra a febre amarela, em Macaé, registra movimento tranquilo nos 12 postos disponibilizados pela prefeitura. A expectativa é vacinar cerca de oito mil pessoas neste sábado (27), das 8h às 16h. A Secretaria Municipal de Saúde também encaminhou cinco equipes volantes, com técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde, que realizam busca ativa na região serrana, neste sábado, para imunizar a população que ainda não se vacinou.

Podem se vacinar pessoas de nove meses a 59 anos que não tenham contraindicação para o uso da vacina. A dose aplica no município é padrão, sem fracionamento, e vale para toda a vida.

Pela manhã a Estratégia Saúde da Família (ESF) Lagomar-A era a unidade que registrava maior movimento. Após a triagem elegível, que verifica se a pessoa está dentro dos parâmetros para receber a imunização, as pessoas eram encaminhadas para a vacinação. Até às 10h, cerca de 70 pessoas já tinham sido vacinadas. A maioria era de pessoas do próprio bairro ou das imediações. Quatro técnicos de enfermagem, quatro agentes comunitários de saúde, uma enfermeira e um auxiliar de serviços gerais atuavam neste sábado no local.

Acompanhado da avó, Lucilene Ferreira, George Lucas, 13 anos, foi um dos vacinados na unidade. Morador do Engenho da Praia, ele foi imunizado e nem reclamou. “Foi tudo rápido”, disse. A preocupação da avó era vaciná-lo porque a família vai passar o carnaval no município de Cantagalo (RJ).

No Pronto Socorro do Aeroporto, além da vacina, agentes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) estavam presentes fazendo um trabalho de conscientização com a população. O setor de Educação em Saúde do CCZ dava orientações sobre vetores e primatas, que são como sentinelas que nos avisam da presença do vírus da febre amarela. Neste sábado, eles levaram um material específico sobre a febre amarela e a importância da vacinação.

Fabrício dos Santos, 32 anos, torneiro mecânico, foi um dos que se vacinou no PS Aeroporto. Ele também levou o sobrinho Miguel dos Santos Gomes, 11 anos, para receber a dose da vacina. “A doença está chegando mais perto, por isso resolvi me vacinar. É melhor precaver”, disse Fabrício.

Na Casa da Vacina, no Centro, o movimento era contínuo, mas tranquilo. O morador da Virgem Santa, Marcelo Menezes, 36 anos, comprador, foi logo cedo se vacinar. Acompanhado da sobrinha Larissa, 12 anos, que já tinha tomado a vacina no ano passado, Marcelo enfatizou a importância da imunização. “Vim para me proteger pois moro próximo à área de mata. Agora, estou mais tranquilo, sem dúvida”.

Programando viagem para a região serrana no Carnaval, o técnico de informática e morador da Fronteira, Joaquim Luiz da Cunha Silva, 40 anos também procurou a Casa da Vacina. “Estava preocupado com a viagem no Carnaval, pois tem que se vacinar com 10 dias de antecedência. Já avisei à minha esposa para se vacinar também”, informou.

As pessoas vacinadas também devem aguardar quatro semanas após a vacinação para doar sangue e/ou órgãos.

Vacina

A vacina contra a febre amarela não é recomendada para gestantes, lactantes de crianças com até 6 meses de idade e nem para quem tem mais de 60 anos, nesse último caso o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação, levando em conta o risco da doença e o risco de eventos adversos nessa faixa etária ou decorrentes de comorbidades.

As doses geralmente produzem poucos efeitos colaterais. Cerca de 5% das pessoas podem desenvolver, cinco a dez dias depois da vacinação, sintomas como febre, dor de cabeça e dor muscular, sendo infrequente a ocorrência de reações no local de aplicação. Reações de hipersensibilidade são muito raras e geralmente atribuídas às proteínas do ovo contidas na vacina.

Quem já tomou a vacina contra a febre amarela pelo menos uma vez na vida não precisa de uma nova dose, esclarece a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em seu site oficial, seguindo também a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os postos de vacinação do Dia D são: unidades do Estratégia Saúde da Família do Lagomar, Córrego do Ouro, Trapiche, Frade, Sana, Bicuda, Glicério, Fronteira; prontos-socorros Aeroporto e municipal, Casa da Vacina e Policlínica Novo Cavaleiros.

Contraindicações do uso da vacina:

- Crianças menores de seis meses de idade.

- Pessoas com história de anafilaxia comprovada relacionada a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina e outras).

- Pacientes com imunossupressão grave de qualquer natureza.

– Imunodeficiência devido a câncer ou imunodepressão terapêutica (uso de corticoides em altas doses).

- Pacientes infectados pelo HIV com imunossupressão grave, com a contagem de células CD4 < 200 células/mm³ ou menor de 15% do total de linfócitos para crianças menores de 13 anos.

– Pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores).

- Pacientes submetidos a transplante de órgãos.

- Pacientes com história pregressa de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, casos de ausência de timo ou remoção cirúrgica).

- Pacientes portadores de lúpus eritematoso sistêmico tendo em vista a possibilidade de imunossupressão.

- Gestantes e mulheres amamentando até os seis meses de idade do bebê.